top of page
Buscar
  • Foto do escritorAndré Luiz Figueirêdo

As leituras de 2023



Chegamos à metade do ano e, refletindo, me espanta constatar o tanto que aprendi. Um hábito que carrego desde a infância, muito incentivado pela família e por uma complexa interação nas escolas, é o da leitura. Seja ficção, não ficção, material didático, uma pesquisa no Google, experimento maravilhamento com o que decido ler. Costumo compartilhar com muitos ao meu redor e resolvi fazê-lo na minha única rede social. Aqui estão, em ordem aleatória, os livros que mais gostei em 2023, até o momento: 1. Talvez você deva conversar com alguém, de Lori Gottlieb Talvez, alguns amigos e clientes tenham se rendido à leitura desse livro pela insistência de deslumbramento meu. A história, em primeira pessoa, de uma terapeuta, seus clientes e seu terapeuta me fisgou, me fez rir alto e chorar num intervalo de 3 páginas e descobrir muito sobre vários aspectos de mim e o cuidar. É a jornada subjetiva do ser humano em uma escrita fluida e insaciável. 2. Circe, de Madeleine Miller. Um romance que mergulha na mitologia grega e traz a representação arquetípica do feminino, do masculino e dos valores sociais atribuídos sem questionamentos. Tudo isso, num pano de fundo que contém a história de grandes e discretos personagens de jornadas como a descrita na Ilíada e das gerações de Titãs e deuses gregos. Uma delícia de leitura. 3. The Velvet Rage, de Alan Downs. Obrigatório para quem deseja lidar com o sofrimento do homem gay - seja ele um amigo, um cliente ou você mesmo. O subtítulo é cativante: "superando a dor de crescer gay em um mundo de homem hétero", em tradução livre. Para isso, o autor, um psicoterapeuta, levanta quais seriam essas questões com base na sua experiência pessoal, de amigos e de seus clientes em consultório. Pode ser uma leitura difícil, tocando em lugares da sua maior vulnerabilidade enquanto sujeito, mas fornece uma abordagem compassiva, lembrando de que você não está sozinho. 4. O Tantra Iluminado, de Christopher D. Wallis. Bibliografia da minha formação de Yoga - concluídas as 200 horas do curso, tenho o resto da vida para estudar e praticar os ensinamentos da tradição tântrika. Muitas das palavras trazidas por Hareesh já estavam em mim antes de iniciar a leitura (ainda longe de acabar), através dos meus queridos professores. A cereja do bolo foi tê-lo conhecido pessoalmente, ganhando um abraço em um workshop, aqui em São Paulo. 5. Almanacão da Turma da Mônica, Maurício de Souza. É como ter um cérebro infantil, sem que isso pareça pejorativo. Passar em frente à banca de revistas, olhar, pensar "por que não levar?" e colocar na bolsa (depois de pagar, claro) exigiu mais coragem do que escrever este texto, por exemplo. E vem a lembrança de que podemos integrar tudo o que já fomos a tudo o que somos. E isso tem relação com todas as outras leituras aqui expostas. Ah, aceito sugestões de leitura também! Ótima semana! #TheVelvetRage #IlluminatedTantra #Circe #TalvezVocêDevaConversarcomAlguém #TurmadaMônica


Comentarios


bottom of page